Loading...

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Doenças dos Linfáticos

DOENÇAS DO LINFÁTICO
As doenças primárias do sistema linfático geralmente estão relacionadas com malformações congênitas ou a neoplasias próprias do sistema linfático.
As doenças secundárias podem ser resultantes do comprometimento ganglionar por células neoplásicas, por bactérias, nematóides, fungos, cirurgias e radioterapia.
A erisipela é uma doença infecciosa produzida pelo streptococo beta-hemolítico do grupo A e raramente do grupo C. Caracteriza-se clinicamente por febre elevada, cefaléia, náuseas e vômitos, além de sinais de inflamação. Observa-se comprometimento de vasos linfáticos e de linfonodos, sendo observada uma faixa avermelhada e dolorosa no trajeto linfático, adenomegalia inguinal dolorosa, acompanhada quase sempre de febre elevada. Não deve ser confundido com trombose.

Linfedema


No linfedema há o aumento de volume de todo ou de parte de um membro devido ao edema ocasionado por lesão da circulação linfática. As causas desta doença são geralmente sistêmicas (cardíaca, renal, hormonal, ciclo menstrual, drogas, etc.).
A classificação do linfedema o divide em primário (a lesão no sistema linfático ocorre na formação do sistema), congênito (lesão ocorre ao nascimento), precoce, tardio (lesão ocorre após os 35 anos), secundário (lesão é decorrente de doenças como filariose e erisipela, por exemplo). Como principais diagnósticos diferenciais temos estase venosa crônica, trombose venosa, erisipela, metástases ganglionares e linfangite.
No exame físico de uma região acometida por linfedema, temos um edema duro que evolui com o espessamento da pele, hiperpigmentação e verrugas. O diagnóstico deve ser confirmado por linfografias e o tratamento pode ser clínico (higiene, fisioterapia, farmacológico) ou cirúrgico (anastomoses e lipectomia).
O linfedema é o edema resultante do comprometimento do sistema linfático. Suas características dependem da etiologia, do tempo de evolução e das complicações. Em sua fase inicial, ele é mole, depressível, frio, indolor e regride com o repouso. O de longa duração costuma ser duro, não depressível, frio, indolor e não regride com o repouso. O linfedema pode ser classificado em primário, podendo ser congênito (brida amniótica, doença de Milroy), precoce e tardio. Será secundário por alterações dos vasos linfáticos pós-surtos de erisipela, pós-estase venosa crônica, pós-traumatismo, filariose, iatrogênico (pós-cirurgia de varizes, pós-safenectomia, pós-dissecção inguinal), ou por alterações dos linfonodos a partir de neoplasias, fibrose pós-radioterapia, esvaziamento ganglionar, tuberculose e medicamentos.

A Importância da Linfa

A linfa além do papel de corrente transportadora, tem a função de proteger o organismo contra bactérias no sangue. Quando aparecer gânglios aumentados é sinal de infecção.
A íngua é comum por excesso e reações alérgicas fazendo os linfonodos incharem. A íngua tem o nome científico de adenite.
A pressão do tecido intersticial tem que ser maior no interior dos vasos capilares e só assim será possível drenar, essa pressão tem que ser média, não muito forte, pois pode acarretar uma compressão dos capilares.

 Jucimara massoterapêuta

  10/11/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário